Innovación en equipos de Rayos X Odontológicos

Notícias

04/06/2014 voltar

Políticas de saúde bucal

Imagem retirada de http://www.odontomagazine.com.br/2014-06-politicas-de-saude-bucal-13533
Imagem retirada de http://www.odontomagazine.com.br/2014-06-politicas-de-saude-bucal-13533
Em protesto objetivando maior atenção às políticas de saúde bucal no Estado de São Paulo e seus municípios, os cirurgiões-dentistas, profissionais técnicos e auxiliares da Odontologia que atuam no âmbito público, vinculados às três esferas de Governo (União, Estado e municípios), realizarão ato de protesto em 5 de junho, às 17h.

A concentração será em frente à sede do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP), na Avenida Paulista, nº 688, Bela Vista.
Os profissionais da Odontologia sairão em passeata até o prédio da TV Gazeta/Fundação Cásper Líbero (Av. Paulista, nº 900). A expectativa é de grande adesão ao movimento, pois todas as entidades nacionais da Odontologia já manifestaram apoio e adesão (Conselho Federal de Odontologia - CFO, Associação Brasileira de Cirurgiões-Dentistas - ABCD, Associação Brasileira de Odontologia - ABO, a Federação Interestadual dos Odontologistas - FIO, Federação Nacional dos Odontologistas - FNO e Associação Brasileira de Saúde Bucal Coletiva - ABRASBUCO).

Até o presente momento, além do CROSP, o protesto também recebeu apoio das seguintes entidades odontológicas paulistas: Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas (APCD), Sindicato dos Odontologistas de Santos (SINDIODON), Sindicato dos odontologistas de Ribeirão Preto, Sindicato dos Odontologistas de Araraquara, Sindicato dos Odontologistas de Piracicaba e região, Associação Odontológica da Prefeitura de São Paulo (AOPSP), Associação dos Profissionais da Odontologia da Prefeitura de Guarulhos (APOPG), Associação Paulista de Saúde Pública (APSP), Associação Paulista dos Auxiliares e Técnicos em Saúde Bucal (APATESB).

Protesto e paralisação
Durante todo o dia 5 de junho, os profissionais da equipe de saúde bucal funcionários e servidores públicos trabalharão com uma tarja preta no jaleco, em resposta a preocupantes situações como a baixa remuneração e atrasos nos pagamentos e, em alguns casos, farão a paralisação no atendimento nesta data.
 

Fonte: CROSP