Innovación en equipos de Rayos X Odontológicos

Notícias

11/09/2013 voltar

Sobre o câncer bucal

Imagem retirada de http://www.odontomagazine.com.br/2013/09/06/sobre-o-cancer-bucal/
Imagem retirada de http://www.odontomagazine.com.br/2013/09/06/sobre-o-cancer-bucal/
Segundo a Organização Mundial da Saúde, cerca de 90% dos pacientes diagnosticados com câncer de boca eram tabagistas. Estima-se que beber 300 mL de bebida alcoólica por semana aumente de três a cinco vezes o risco de câncer de boca.

Se diagnosticado precocemente, as chances de cura do câncer bucal são de 60% em média. Qualquer tipo de lesão traumática, feridas ou aftas que persistam por mais de 15 dias na cavidade oral devem ser examinadas e, se o profissional julgar necessário, a biopsia deve ser realizada.

Tabagismo, o etilismo e as infecções pelo HPV são os principais fatores de risco. De acordo com o INCA (Instituto Nacional do Câncer), estimam-se 9.990 casos novos de câncer da cavidade oral em homens e 4.180 em mulheres, para o Brasil, em 2013. Foi revelado também que o hábito de fumar e beber aumenta 30 vezes o risco para o desenvolvimento do câncer bucal. O fumo é responsável por cerca de 42% dos óbitos e o etilismo pesado corresponde a, aproximadamente, 16% dos óbitos.

As taxas de incidência para câncer da cavidade oral relacionado à infecção pelo HPV, como amígdala, base da língua e orofaringe, aumentam entre adultos jovens em ambos os sexos e pode estar relacionada a mudanças no comportamento sexual. “Na maior parte dos casos, quanto mais cedo é feito o diagnóstico, melhores os resultados do tratamento”, alerta Dr. José Luís Bretos, fundador do NEO (Núcleo de Estudos Odontológicos). “É importante lembrar que a higiene bucal inadequada e uma dieta pobre em proteínas, vitaminas e minerais e rica em gorduras também podem contribuir para o surgimento da doença”, conclui Dra. Andrea Beder, especialista em Dor Oro Facial e membro do Colégio Brasileiro de Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial, do Instituto Alpha de Saúde Integral.

Segundo o INCA, os tumores nos lábios, gengivas e outras regiões da cavidade oral afetam 10 em cada 100 mil homens e 4 em cada 100 mil mulheres.

“A população deve ficar atenta e observar na própria boca o aparecimento de feridas, caroços, verrugas e manchas; estes são os sintomas da doença, então é importante procurar um especialista imediatamente”, explica Dr. José Luís Bretos.



Fonte: Odontomagazine